sexta-feira, 10 de julho de 2009

VALSA COM BASHIR (waltz with Bashir)





"Entramos com eles para ver o que acontecia. Dentro do campo vi muitos escombros. De súbito pude ver uma mãozinha. Uma mão de menino ou menina, saindo dos escombros. Olhei outra vez e vi cachinhos, cobertos de poeira. Uma mão e uma cabeça. Minha filha tinha mais ou menos a idade daquela menina. Também tinha cabelos cacheados. As casas no campo tinham pequenos pátios, que estavam cheios de corpos de mulheres e de crianças. Primeiro eles levavam o homens e os matavam. Depois davam cabo das famílias. Entramos por uma viela, pouco mais larga que um homem. A passagem estava bloqueada até a altura do peito por corpos de homens jovens. Foi quando me ocorreu: eu estava diante de um massacre." (Ari Folman, 2009)


Olhe o filme, leia a graphic novel, é uma viagem imperdível pelas lembranças e pelo imaginário de um homem que testemunhou um dos capítulos mais trágicos do interminável conflito palestino-israelense: o massacre de Sabra e Chatila. Reflita sobre a insanidade dessa e de todas as guerras que a intolerância dos seres humanos cria em profusão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário